terça-feira, 7 de março de 2017

MP Comunitário e 38ª PJC celebrarão Dia Internacional da Mulher com população da zona sul de Maceió; MPE/AL oferecerá oficinas, atrativos culturais e serviços à comunidade

Com o apoio da Procuradoria Geral de Justiça do Estado de Alagoas, o programa Ministério Público Comunitário e a 38ª Promotoria de Justiça da Capital (Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher) comemoram o Dia Internacional da Mulher, no dia 8 de março, com uma série de ações no bairro Vergel do Lago e adjacências, na zona sul de Maceió. Neste ano, o mote de celebração da data é “A luta da mulher por melhores condições de vida e trabalho”.
Haverá oficinas, apresentações culturais, atendimento para mediação de conflitos e campanhas sobre os direitos da mulher e contra o descarte irregular de lixo. O músico Igbonan Rocha e o humorista Marlon Rossy farão uma participação especial no evento, que começa às 14h, na Praça da Base Comunitária da Polícia Militar no bairro.
“O Ministério Público Comunitário é um case de sucesso da nossa instituição, aproximando a sociedade do Ministério Público, promovendo a cultura da paz e solução de conflitos por intermédio da própria comunidade. Esperamos fortalecer o programa por meio de investimentos próprios e pela captação de recursos externos. Quero parabenizar os promotores de Justiça Cláudio Malta e Maria José Alves, assim como toda a equipe técnica, pela perseverança e dedicação nesse grande trabalho”, destacou o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto.
A atividade do Ministério Público conta com o apoio da Softplan, Atlântica Motos, Tech, Cooperativa Pindorama, Sococo, Organização Arnon de Mello, Pajuçara Sistema de Comunicação, Sistema Opinião de Comunicação, Locazzo, Capela Palcos, Toldos & Varanda, Secretaria do Estado da Mulher e dos Direitos Humanos e Governo do Estado de Alagoas.
Programação variada
Entre as oficinas, destaque para ensinamentos básicos da arte marcial karatê, de defesa pessoal para mulheres e de sabão, sendo esta a partir do uso de óleo de cozinha reciclado. Já nas apresentações culturais, além do músico e do humorista, o público terá acesso a manifestações artísticas, como teatro e dança, e religiosas, a exemplo das matrizes da religião africana. O programa oferecerá serviços de beleza, saúde e bem-estar aos presentes.
Na ocasião, a população também poderá realizar marcação de mediação de conflitos e receber orientação social, jurídica e psicológica, além de se beneficiar com a emissão de carteira de identidade e de cadastro de pessoa física no local. Haverá ainda a distribuição de material educativo sobre os direitos da mulher e a rede de atendimento à mulher vítima de violência doméstica.
“O MP Comunitário tem uma importante história de luta e perseverança na comunidade onde atua. Ao longo desta trajetória muitas lideranças comunitárias foram identificadas e formadas para atuar buscando melhorar o território. As ações do dia 8 de março refletem esse contexto de lutas. A dedicação de técnicos tão comprometidos, como são a assistente social Jediane Freitas e a psicóloga Luciana Dantas, e o esforço de todos os mediadores de conflito que atuam no Vergel do Lago vêm produzindo uma ação transformadora extremamente relevante", disse o promotor de Justiça Cláudio Malta, coordenador da iniciativa estratégica.
"E este ano nossas expectativas se ampliam ainda mais diante do grande apoio empreendido pela Procuradoria Geral de Justiça. Isso significa dizer que o Ministério Público estará cada vez mais perto da população, como ocorrerá nesta celebração do Dia Internacional da Mulher”, acrescentou.
Violência contra a mulher
A coordenadora adjunta do programa MP Comunitário, promotora de Justiça Maria José Alves, titular da 38ª Promotoria de Justiça da Capital, explica que a luta por melhores condições de vida e trabalho está diretamente relacionada ao debate da violência doméstica e familiar contra a mulher.
“Vivemos numa sociedade machista e misógina, onde muitos homens e até mesmo mulheres acreditam ser a casa o lugar da mulher, numa posição submissa. Com o tema deste ano, queremos abranger, dentro do possível, o debate da mulher negra, da mulher marisqueira, da mulher em condição de fragilidade econômico e social, enfim de todas que se encontram em situação de vulnerabilidade”, disse.
“Queremos abrir o leque para discutir suas questões, anseios e soluções, de modo a tornar a própria mulher senhora de sua vida e por consequência, a comunidade protagonista, não apenas do evento, mas da própria história”, completou a promotora de Justiça.
O programa
O programa MP Comunitário foi instituído em 2011, com o objetivo de criar e fortalecer instrumentos alternativos para a solução de conflitos, da promoção social e da dignidade humana, com vistas à redução da violência e a criação de uma cultura de paz, reconhecendo e aproveitando os talentos e recursos comunitários.
Para a solução dos conflitos, por exemplo, o programa utiliza a mediação como instrumento alternativo para a solução dos problemas. Os mediadores atendem, diariamente, casos de conflitos existentes entre os moradores do Vergel do Lago e bairros adjacentes. As principais demandas apresentadas estão relacionadas às questões familiares e brigas em função das relações de vizinhança.
Exposição fotográfica
Também em alusão ao ao Dia Internacional da Mulher, a Procuradoria Geral de Justiça e a Associação do Ministério Público de Alagoas (Ampal) realizam exposição fotográfica “Mulheres Fazem o Ministério Público do Estado de Alagoas”, no Maceió Shopping. A homenagem retrata a presença feminina na instituição, que conta com duas procuradoras de Justiça e 66 promotoras de Justiça, entre membros ativos e inativos.
A exposição, que é assinada pelo fotógrafo Gustavo Sarmento, encontra-se no primeiro andar do Maceió Shopping, próximo às salas de cinema. A homenagem às mulheres seguirá no local até o dia 13 de março. O estabelecimento comercial é parceiro da iniciativa.
ESCRITO POR RAFAEL CAVALCANTI BARRETO | 07 MARÇO 2017
POSTADO EM NOTÍCIAS EM DESTAQUE

Nenhum comentário:

Postar um comentário