quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Ministério Público Comunitário discute descarte de lixo em oficina ambiental com moradores do bairro do Vergel do Lago

Experiência bem-sucedida de inserção do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL) no seio da comunidade do Vergel do Lago, o programa Ministério Público Comunitário realizou, nesta quarta-feira (22), o III Encontro Local de Educação Ambiental. Especialistas falaram sobre a importância da correta destinação para os resíduos sólidos e quais as consequências à saúde humana e ao meio ambiente quando o descarte do lixo ocorre de maneira inadequada.
“Consequências e doenças ocasionadas pelo acúmulo de lixo” foi a primeira palestra do dia. Ministrada pelo professor doutor Maurício Silva de Lima, ela retratou os perigos causados pelos insetos que se proliferam dentro e nos arredores do lixo despejado nas ruas. “São baratas, moscas, ratos e escorpiões que podem comprometer a saúde da população, uma vez que todos eles transmitem uma série de doenças. A barata, por exemplo, é um vetor da hepatite A. Já o rato, da leptospirose. E os escorpiões são muito venenosos. Em crianças, pessoas com baixa imunidade e idosos, essas enfermidades podem levar à morte. Por isso é tão importante não acumular lixo e não descartá-lo de qualquer forma, sem que ele esteja devidamente acondicionado”, explicou ele.
O biólogo também destacou que o mosquito Aedes Aegypti é capaz de fazer criadouro na água que fica acumulada no lixo. “Muitas vezes, uma tampinha de garrafa já serve para que as larvas do mosquito se desenvolvam. E é importante lembrar que o Aedes é o causador da dengue, da zika e da chikungunya”, acrescentou.
A segunda palestra foi promovida pela bióloga Eva Moraes, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recurso Hídricos.
“Esse tipo de evento é muito enriquecedor e a gente tem a oportunidade de aprender para poder servir melhor a nossa comunidade. É claro que eu quero ser uma multiplicadora desses ensinamentos todos”, afirmou Valdirez Maria da Silva.
Nesse III Encontro Local de Educação Ambiental, dezenas de pessoas foram capacitadas e a ideia é que elas compartilhem todo o aprendizado com seus familiares, amigos e com a comunidade do próprio bairro.
Outras ações
E as atividades não param por aí. No dia 8 de março será a vez da II Caminhada de Mobilização Contra o Descarte de Lixo, que terá como tema a luta da mulher por melhores condições de vida e trabalho. A concentração será na sede do próprio MP Comunitário, que fica Rua Marquês de Pombal, no mesmo prédio do Conselho Tutelar da 2ª Região Administrativa.
O procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, prestigiou o evento, ao lado do promotor Cláudio Malta, que coordenada o MP Comunitário, junto com a promotora de Justiça Maria José Alves. “Esse é um programa que nos enche de orgulho. Ele é muito importante para o Ministério Público Estadual de Alagoas e só existe porque há promotores e técnicos abnegados, que acreditam nesse processo de transformação social, que querem aproximar a nossa instituição da sociedade. É por isso o MP Comunitário terá prioridade na minha gestão e, inclusive, estou buscando parcerias para que ele possa ser ampliado. E uma delas deverá acontecer com o Ministério dos Direitos Humanos”, garantiu o chefe do MPE/AL.
“O MP Comunitário tem uma história linda e a gente já conseguiu desenvolver ações muito bacanas dentro dele, em função da dedicação de técnicos tão comprometidos, como são a assistente social Jediane Freitas e a psicóloga Luciana Dantas. E com esse apoio que ora chega, temos a esperança de que vamos conseguir ampliá-lo. Sentiremos esse impacto em breve e teremos mais pessoas sendo beneficiadas com os nossos serviços”, destacou o promotor de Justiça Cláudio Malta.
O programa
O programa MP Comunitário foi instituído em 2011, com o objetivo de criar e fortalecer instrumentos alternativos para a solução de conflitos, da promoção social e da dignidade humana, com vistas à redução da violência e a criação de uma cultura de paz, reconhecendo e aproveitando os talentos e recursos comunitários.
Para a solução dos conflitos, por exemplo, o programa utiliza a mediação como instrumento alternativo para a solução dos problemas. Os mediadores atendem, diariamente, casos de conflitos existentes entre os moradores do Vergel do Lago e bairros adjacentes. As principais demandas apresentadas estão relacionadas às questões familiares e brigas em função das relações de vizinhança.


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

II ENCONTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL e III Caminhada de Mobilização


 O Ministério Público Comunitário realizará no dia 08 de março de 2017, às 14 horas, na Praça Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Praça da Base da Polícia Militar Comunitária) grande evento reunindo a comunidade local para tratar de assuntos relevantes para o Bairro Vergel do Lago e Adjacências:
  • O Descarte irregular de lixo nos espaços públicos comunitários 
  • A luta pelos direitos da MULHER e contra a violência 
  O evento tem por objetivo mobilizar a população para a construção coletiva de alternativas em torno da problemática do descarte irregular de lixo, situação que só vem se agravando ao longo do tempo e causando diversos transtornos ambientais e sanitários no bairro do Vergel e adjacências.

   O 8 de março deve ser visto como momento de mobilização para a conquista de direitos e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres, impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países.

   O evento destaca a luta das mulheres trabalhadoras que ajudam no sustento e na sobrevivência da família em uma comunidade marcada por graves problemas socais e ambientais. 

   A caminhada também se destina a chamar mais uma vez a atenção das autoridades públicas sobre o grave problema do descarte irregular de lixo no Bairro Vergel do Lago. Há mais de dois anos o Programa Ministério Público Comunitário vem desenvolvendo diversas ações educativas e de articulação institucional buscando soluções para esse grave problema uma vez que o descarte de lixo é feito diariamente nos principais espaços públicos comunitários do bairro, obrigando a população a conviver com essa realidade perversa.

   É preciso mais uma vez chamar a atenção da mídia e da sociedade em geral para revelar esse grave problema que afeta o meio ambiente (poluindo a Lagoa Mundaú que é fonte de vida para os moradores e para a cidade de Maceió). O problema afeta ainda o convívio urbanístico e a saúde da população.

VAMOS TODOS UNIFICAR AS NOSSAS FORÇAS PARA GARANTIR AOS MORADORES DO BAIRRO VERGEL DO LAGO MAIOR DIGNIDADE PARA VIVER EM UM MEIO AMBIENTE SAUDÁVEL E EQUILIBRADO

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Alfredo Gaspar recebe ministra dos Direitos Humanos e propõe parceria para fortalecer o projeto "MP Comunitário"

   
    O chefe do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL), Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, recebeu, na manhã desta segunda-feira (13), a visita da ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois. Na ocasião, foram discutidas possíveis parcerias para fortalecer a atuação das duas instituições em ações voltadas, por exemplo, às minorias, à cidadania, à igualdade racial e à questão das pessoas com deficiência, da criança e do adolescente e do idoso e, como sugestão para a atuação do MPE/AL nesse segmento, o procurador-geral de Justiça sugeriu que o projeto MP Comunitário seja o protagonista dessas futuras ações.
    A reunião foi marcada a pedido da ministra dos Direitos Humanos. Visitando as unidades do Ministério Público brasileiro, o referido Ministério quer encontrar parceiros que possam trabalhar em sintonia com as atividades que serão desenvolvidas no calendário de 2017. E, tendo o MPE/AL o programa do MP Comunitário, que trabalha direitos e cidadania, o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, viu no projeto o canal ideal para a que essa parceria possa ser executada.
   “O MP Comunitário é um programa que tem o objetivo de fortalecer os instrumentos alternativos para a solução de conflitos, a promoção social e a valorização da dignidade humana, com vistas à redução da violência e para a criação de uma cultura de paz. Portanto, ele é ideal para trabalhar esse tipo de questão. Temos uma equipe multidisciplinar que pode atuar nesse tipo de trabalho e desenvolver ações que envolvam várias comunidades. Se conseguirmos estrutura para isso, certamente teremos êxito”, afirmou o chefe do MPE/AL.
   “Essa é uma visita muito importante. Uma parceria entre o Ministério Público e o Ministério dos Direitos Humanos será uma prova de que Estado e União caminham juntos na defesa da cidadania e no combate a toda forma de preconceito”, disse a promotora de Justiça Marluce Caldas, que, na ocasião, representou a Associação do Ministério Público de Alagoas (Ampal). Também participaram do encontro os promotores Almir Crescêncio, Luiz Medeiros, Edelzito Andrade e Sandra Malta.
   Entusiasmada com o programa, que foi instituído em 2012, a ministra Luislinda Valois prometeu estudar a viabilidade de apoio e dar uma resposta ao MPE/AL sobre a formato de convênio que pode ser estabelecido nesse sentindo. “Queremos, em parceria com outros entes do governo e a sociedade, elaborar, executar e acompanhar ações afirmativas de políticas públicas, sejam elas na área da cidadania, da saúde, da educação, do trabalho, da juventude, das mulheres, dos idosos. A ideia é realmente construir essas ações para que possamos corrigir desigualdades acumuladas ao longo de anos. Também é nossa intenção que essas políticas passem por atividades que nos permitam reverter a representação negativa dos negros para que, então, possamos promover igualdade de oportunidades e combater o preconceito e o racismo. Sem dúvida alguma, o Ministério Público Estadual de Alagoas será um dos nossos parceiros”, declarou a ministra.
   Luislinda Valois também pediu o engamento do MPE/AL para a criação, em Alagoas, da Delegacia de Crimes contra o Racismo e a Intolerância Religiosa.

ESCRITO POR JANAINA RIBEIRO 13 FEVEREIRO 2017
POSTADO EM NOTÍCIAS EM DESTAQUE

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Elaboração do Cronograma de Atividades para 2017


Dando continuidade às atividades de Planejamento ja iniciadas desde o final do ano passado, o Programa Ministério Público comunitário reuniu no último dia 19 de janeiro com técnicos e mediadores para elaboração do cronograma MP Com 2017.

A atividade contou com a participação importante dos Mediadores Comunitários construindo mais uma ferramenta de participação que vai orientar as ações durante o ano 2017.

O Cronograma foi elaborado a partir das deliberações adotadas durante a elaboração do Planejamento Estratégico para o ano 2017 e definiu de forma detalhada as ações e os períodos de sua realização. 

Muita participação e criatividade! Parabéns equipe!

Planejamento de Ações Estratégicas


Técnicos e Mediadores de Conflitos estiveram reunidos na sede do Programa no último dia 25 de janeiro de 2017, para ajustar a programação para os próximos eventos: 

III Encontro de Educação Ambiental;

II Caminhada de Mobilização contra o Descarte Irregular de Lixo no Vergel do Lago


Dia Internacional da Mulher


Na oportunidade o grupo debateu sobre o texto "Serviço Social e Educação Ambiental" de Maria Katarina da Silva Macedo. 

Foi uma manhã de muita reflexão e aprendizado sobre as implicações do capitalismo no desequilíbrio ecológico e social, que muito ajudarão na luta por melhoria nas condições de vida dos moradores do Vergel do Lago que há muitos anos sofrem com o descarte irregular de lixo, provocando doenças e morte.