terça-feira, 31 de julho de 2012

REUNIÃO NA SEPAZ


   No dia 31 de julho de 2012 foi realizada reunião na Secretaria da Paz, contando com a Participação das Secretarias Estaduais de Articulação Social, Defesa Social, Polícia Militar Comunitária e o Ministério Pùblico para discutir a realização de um processo de formação em mediação de conflitos para agentes de apoio comunitário nos bairros onde funcionam Bases Comunitárias da Polícia Militar.
   O encontro resultou em uma importante articulação interinstitucional e mútuos compromissos de cooperação e integração. Foi agendada uma nova reunião para o dia 06 de agosto na Secretaria Estadual de Articulação Social, às 13:30 horas, oportunidade em que será apresentado o diagnóstico elaborado pela Secretaria Estadual de Defesa Social, com base em informações contidas em relatórios produzidos pelas bases comunitárias da Polícia Militar de Alagoas.
   As instituições pretendem discutir uma proposta para realização de um processo formativo que será parte de um conjunto de ações estratégicas com a finalidade de fortalecer a participação e o comprometimento dos moradores na solução de conflitos, fortalecendo a atuação das Bases Comunitárias da Polícia Militar e reduzindo a violência.
   Para facilitar o trabalho a Secretaria Estadual de Defesa Social elaborou um BREVE PERFIL DAS ÁREAS DAS BASES COMUNITÁRIAS DE SEGURANÇA, composta pelos seguintes territórios: BAIRRO CARMINHA (Abrange os conjuntos: Carminha, Parque das Américas, 1º de Julho e Benício Mendes), SELMA BANDEIRA (Abrange os conjuntos: Selma Bandeira, Paulo Bandeira e Luiz Pedro III), JACINTINHO (Aldeia do Índio, Conj. Claudionor Sampaio e Conj. Mutirão), OSMAN LOUREIRO (Abrange os conjuntos: Osman Loureiro, Colibri, Colina II e o Loteamento Durville) e VERGEL DO LAGO (Abrange os conjuntos: Virgem dos Pobres I, Joaquim Leão e Ponta Grossa)

Sepaz promove 1º Seminário Alagoano de Mediação de Conflitos

Evento vai debater como administrar conflitos de forma não violenta nos vários ambientes sociais
Sepaz promove 1º Seminário Alagoano de Mediação de Conflitos

Cartaz do 1º Seminário Alagoano de Mediação de Conflitos
Como parte de suas ações de prevenção social à violência, a Secretaria de Estado de Promoção da Paz (Sepaz) promove, na próxima quinta-feira (02), o 1º Seminário Alagoano de Medicação de Conflitos. Com o tema “A mediação como instrumento de construção da paz”, o evento será no auditório da Casa da Indústria, das 8h às 18h.
Promovido em parceria com a Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Alagoas (OAB/AL), o seminário é aberto a todo o público, porém com um foco especial nos professores e alunos universitários em cursos de licenciatura e Direito. Especialistas em mediação de conflitos debaterão como administrar essas situações de forma não violenta na família, na escola e no trabalho.
 Este seminário é a primeira parte de um projeto maior da Sepaz, que pretende capacitar lideranças comunitárias e escolares como mediadoras de conflito, através de uma parceria com o Ministério da Justiça. Detalhes do acordo, inclusive, foram discutidos no começo de julho, em Maceió, durante reunião técnica das duas equipes.
 As vagas são limitadas e as inscrições – que custam apenas uma lata de leite em pó – são feitas através do site da secretaria: www.paz.al.gov.br.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Animação de Redes Sociais


ENCONTROS COMUNITÁRIOS - "Diálogos"

O Ministério Público Comunitário vem realizando uma sequência de reuniões comunitárias, objetivando promover uma maior aproximação com as instituições presentes no bairro Vergel do Lago. A estratégia objetiva ainda contribuir para a construção do mapeamento social preliminar que vem sendo realizado com a participação dos Estagiários Voluntários do Ministério Público Estadual.

Além dos Encontros Comunitários denominados DIÁLOGOS o MP Comunitário vem realizando visitas ás instituições locais, conversando com lideranças e dirigentes de organizações sociais e promovendo estudos sobre o bairro, visando subsidiar as ações que serão realizadas.

Para alcançar os objetivos do Programa a integração inter instirucional se constitue em uma etapa fundamental para o processo iniciado. Os encontros comunitários realizados vem desenhando a possibilidade de consolidação de novas “redes sociais”, formadas a partir do compromisso das diversas instituições locais e fortalecidas com a execução de variadas ações envolvendo os diferentes parceiros estratégicos.

As redes se constituem em alternativas ao sistema oficial e exige a conjugação de esforços, recursos e talentos existentes na comunidade direcionados para um objetivo comum. Os ENCONTROS COMUNITÁRIO vão se afirmando como espaços privilegiados para a formação de uma rede solidária sólida e comprometida.

CALENDÁRIO DE REUNIÕES COMUNITÁRIAS

DATA
PARTICIPANTES
LOCAL
25/Jul
quarta-feira
14h00
Lideranças locais, Comissão do Programa e Conselho de Defesa e Segurança Social local
Sede do Programa MPCom
02/Ago
quinta-feira
19h00
Escolas municipais e estaduais do Bairro
Sede do Programa MPCom
03/Ago
sexta-feira
19h00
Associações locais
Sede do Programa MPCom


sábado, 14 de julho de 2012

1ª Oficina de Trabalho do MP Comunitário no Vergel do Lago

  A realização da Oficina de Trabalho do Programa MP Comunitário aconteceu no dia 08 de julho de 2012, no período de 9:00 às 17:30 horas, na sede do Programa e teve por objetivo principal reunir diversos atores sociais representantes de instituições locais e externas paraDIALOGARsobre as ideias que passarão a orientar a construção do Programa no Estado de Alagoas.
    A oficina foi facilitada por Sílvia Pompéia, doutora em psicologia na educação pela PUC-SP, com diversas experiências em projetos em metodologias participativas, que ajudou a construir as primeiros passos para estruturação do Programa. 
     O Procurador Geral de Justiça, Dr. Eduardo Tavares, participou da oficina destacando em sua fala a importância que o Programa Ministério Público Comunitário tem para a instituição, porque representa um marco diferenciador que vai aproximar o Ministério Público de Alagoas da Sociedade.  
    A ideia de fazer o MP Comunitário está comprometida com o investimento direto no fortalecimento do capital humano da comunidade. O que se pretende é identificar o potencial das pessoas que vivem na comunidade para que as pessoas tenham e esperança para lutar. Que as pessoas refllitam sobre seus problemas, seus sonhos, seus potenciais e se organizem para superar as dificuldades que impedem o desenvolvimento da comunidade. 
    Com o trabalho focado no fortalecimento do capital humano, estimulando a atuação da comunidade se cria um movimento de e de esperança. É importante ter e esperança para que a pessoa não fique prostada esperando que alguém chegue e faça o que a comunidade precisa. Isso também reflete na mudança de atitude daquele que  acredita que não tem mais nada a perder e não aceita o movimento porque não crê que isso possa resultar benefício para sua vida.
      A pessoa tem que ter e esperança para que não entre em desespero, não fique inerte pela humilhação e pela depressão que as dificuldades da vida muitas vezes impõe. A pessoa precisa ter um sonho e a esperança de poder realizar esse sonho. Quando a pessoa começa a acreditar de fato ela sai da situação de inércia e se movimenta. "As pessoas não se mobilizam para resolver problemas elas se mobilizam para realizar sonhos" - Afirmou Sílvia Pompéia.
    Uma comunidade é formada por diversos talentos e recursos. Este é exatamente o ponto de partida, de onde tudo deve começar: encontra na comunidade pessoas com muitos talentos e potenciais para promover mudanças. Muitas vezes as pessoas ficam com o atrás. Estão descrentes, mas no momento em que as pessoas passam a acreditar entãoninguém segura.